APCV

Subscrever

Subscreva a nossas notícias receba regularmente informação no seu email.

CONSUMO MODERADO PODE SER BENÉFICO

Os principais componentes nutricionais da cerveja são essencialmente os glícidos (hidratos de carbono), o etanol e as proteínas. Contém ainda vitaminas e sais minerais,  diversos compostos fenólicos e fibra alimentar. Qualquer cerveja contém mais de 400 compostos, que lhe conferem propriedades nutricionais e funcionais.

Nutrientes e seus contributos para a saúde:

Álcool: Pode prevenir o aparecimento de diabetes do tipo 2 por reduzir os níveis de insulina. Proteção do organismo contra a doença coronária, desde que ingerido em quantidades moderadas (estudos mostram que a incidência pode ser menor em consumidores moderados do que em abstémios).

Piridoxina e folatos: Diminuição da incidência de doenças coronárias.

Polifenóis: Capacidade antioxidante, importante na prevenção de doenças cardio-vasculares. Possível papel quimiopreventivo.

Ácido fólico e outras Vitaminas do complexo B: Equilíbrio da saúde do sistema nervoso,  designadamente prevenção de acidentes cardio-vasculares. Metabolismo dos glúcidos. Prevenção da anemia. Reforço imunológico. Digestão.

Fibra solúvel: Regulação dos níveis de colesterol e de glicose no sangue. Desenvolvimento da flora intestinal. Diminuição da incidência do cancro do cólon. (A cerveja tem tanta fibra solúvel quanto um sumo de laranja).

Silício: Maior densidade mineral óssea. Prevenção da osteoporose.

Potássio e sódio: Regulação da tensão arterial, por estarem presentes na cerveja em quantidades proporcionais.

Magnésio: Metabolismo dos músculos,  (uma dose de 33 cl de cerveja fornece cerca de 8% da dose diária recomendada de magnésio).